Turismo

Cachoeira do Barrocão

+

Queda d’água situada no Riacho da Serra, afluente do Rio Curimataú, nas proximidades do St. Lajego Preto. Acesso pela PB-103, na altura do KM 6.

Dificuldade de acesso: nível 5
Melhor época: Junho, Julho e Agosto.

Cachoeira do Letreiro

+

A cachoeira se localiza no Riacho da Serra, afluente do Rio Curimataú, com melhor acesso pela PB-103, St. Queimadas.

Dificuldade de acesso: nível 4
Melhor época: Junho, Julho e Agosto.

Cachoeira Salto do Seró

+

Queda d’água no Riacho do Seró, no meio de densa vegetação. A água é originária de um olho-d’água que forma um açude na margem da Mata do Seró e sangra para o Rio Curimataú. Acesso pela estrada vicinal da Cidade/Pimenta/Seró. Distância da cidade: 8 km.

Dificuldade de acesso:
nível 8
Melhor época: Junho, Julho e Agosto

Cruz da Menina

+

Capela onde os romeiros realizam suas visitações e orações em busca de milagres.No local, uma menina morreu de sede nos idos de 1.800, após haverem lhe negado água pra beber. Ao lado da Capela, em local inóspito e pedregoso, surgiu uma fonte que perdura até os dias de hoje. Foi considerado um milagre e as pessoas peregrinam no Dia de Todos os Santos, em procissão, da Igreja Matriz até a Capela Cruz da Menina para reforçar sua fé e assistir à Santa Missa realizada no local.

Procissão: Sai às 5 da manhã da Igreja Matriz, localizada no Centro da cidade, ao lado do Colégio Estadual Clóvis Bezerra.

Estádio Municipal

+

O Estádio Municipal é o melhor e único na região. A partir de 2011 recebeu iluminação para jogos no período noturno. De novembro a janeiro é realizado o Campeonato Municipal de Futebol. Noutras datas festivas, acontecem os torneios. O local tem capacidade para 5 mil torcedores.

Estrutura: vestiários, banco de reservas, área técnica, alambrado, cabines de rádio. Existe uma pista de atletismo na beira do campo que é utilizada para caminhadas, principalmente pelos idosos.

Igreja-Mãe

+

Construída em 1852, na forma de uma capela que depois foi crescendo de acordo com o desenvolvimento da outrora Vila, chegou aos nossos dias com a aparência atual. Existe um Cruzeiro bem na frente.

Situada na Av. Manoel Pedro, a primeira da cidade.

Letreiro - Inscrições Rupestres

+

O Letreiro são inscrições rupestres encontradas em algumas pedras no lajedo existente no leito do Riacho da Serra, bem entre Queimadas e Mulungú. Não se sabe precisar a data das inscrições, mas costuma-se dizer que são obras de indígenas que habitaram a região até os anos de 1.750.

Marmitas do Lajedo Preto

+

Marmitas (Tanques) do Lagedo Preto – formações rochosas com formas variadas (marmitagem) que chamam a atenção pelas divisórias largas ou bem finas entre os tanques. Considerado um verdadeiro sítio arqueológico, uma maravilha da natureza, continua praticamente desconhecido.

Distância da sede: 9 km sentido St. Lagedo Preto (7 asfalto – 2 terra). Carro chega a 200 m dos tanques.
Melhor época: Março a Julho – tanques com água / Agosto a Fevereiro – tanques secos

Mata do Seró

+

Mata do Seró – resquício de Mata Atlântica com fauna e flora bastante variadas, com trilhas e histórias, inclusive onça na área. Duas cachoeiras: Salto do Seró (22 m) Queda do Onias (5 m). Atualmente existe o Bar da Nita, na margem Norte da Mata, que atrai quem gosta de se divertir bem perto da natureza.

Distância da sede: 3 km sentido St. Caco. Estradas de terra. Carro chega na beira da mata.
Melhor época: Ano todo.

Pedra do Bico

+

Pedra do Bico – formação rochosa de rara beleza, que aparenta um dedo apontando para o céu. Ali serve de mirante de onde se observa boa parte da bacia do rio Curimataú e ótimo local para um passeio.

Distância da sede: 11 km (9 asfalto – 2 terra). Carro chega a 300 m.
Melhor época: Ano todo.

Lagoa da Serra

+

A Lagoa da Serra localiza-se no alto do Lajedo vizinho da cidade, de onde se tem uma vista panorâmica da cidade e um lindo pôr-do-sol, que embalado por uma boa música, torna-se algo inesquecível.

Distância do Centro: 500 m
Melhor horário: manhã e tardinha
Acesso: subindo o Lagedo de carro ou a pé